22/02/2014 - Ato Público em Brasília.




  O Exame de Ordem, condição para que todo o Bacharel em Direito no Brasil que sai da faculdade de Direito das universidades em geral, vem sofrendo duras críticas desta feita não só pelos examinandos prejudicados pela reprovação mas agora também, sistematicamente pela sociedade científica, políticos e doutrinadores.

Diante do quadro duro de aceitar estatísticas estarrecedoras, e não podendo mais manter as acusações de que as universidades são de péssima qualidade, razão do Exame de Ordem, é preciso reconhecer que durante dos 20 anos que impera o exame, nada mudou. A ponta do iceber é a taxa de isncrição para o exame que é de R$ 200,00 (duzentos reais) permitindo que a entidade da ORdem dos Advogados do Brasil - OAB arrecade algo em torno de R$ 100 milhões ano.

Milhares de Bacharéis e Bacharelas em Direito são jogados no limbo da sociedade a cada ano por conta das duvidosas dificuldades na realização do certame. O que mais impressona é o fato de que a Ordem dos Advogados do Brasil, não está legitimado para exigir exame algum, porque a Constituição Federal de 1988 não a contempla como entidade credenciada a avaliar o ensino no país e tão pouco lhe permite gozar da imunidade tributária como ela inseriu em seu estatuto. Uma verdadeira fraude constitucional.

Diante de tais circunstâncias, o Movimento Nacional dos Bacharéis do Brasil - MNBD, informa a todos os Bacharéis e Bacharelas do país inteiro, que fará ato público no paço da Praça dos Três Poderes em Brasília dia 25 de março de 2014 a partir das 09hs30min. A entidade presidida pelo Tributarista Carlos Otávio Schneider, formado pela Universidade Luterana do Brasil, está organizando desde a hospedagem para os participantes até a tribuna de manifestações dos principais movimentos do país.

Segundo o dirigente da entidade "a presença de políticos importantes que encaminharam o PL 2154 e os seus defensores, estarão presentes no palanque no dia do evento" assegura Schneider. Já estão confirmadas as participações representantes dos Bacharéis em Direito do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Parana, São Paulo, Goiás, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Sergipe, Manaus, Alagoas, Mato Grosso do Sul. A exposição de faixas, cartazes, com a cobertura da imprensa internacional já informada do evento, será momento de denunciar ao Brasil os algozes do ensino jurídico do país.

Carlos Otávio Schneider. 

Presidente do Movimento Nacional

dos Bachareis em Direito - MNBD


Desenvolvido por: Lccomunic.com.br Diretoria Nacional Quem Somos O que é o MNBD